Junte-se a milhares de pessoas e entre para nossa lista VIP      CLIQUE  AQUI!
QUER RECEBER GRATUITAMENTE UM CONTEÚDO VIP NÃO PUBLICADO AQUI NO BLOG?
O que é concordância verbal

Saber O Que É Concordância Verbal, a tal da bendita relação entre verbo e sujeito, acredito que todo o mundo já saiba.

O que quase ninguém sabe é que, na lista dos principais erros gramaticais cometidos, a falta dessa concordância está sempre entre eles.

E esses não são deslizes exclusivos de quem escreve redações, estão, na verdade, por toda a parte, até nos lugares mais improváveis, como imprensa, propagandas, músicas e na boca do Lula… (este último não tão improvável assim!)

Mas por que se comete tanto esse erro?

São as principais causas o distanciamento e a mudança de posição entre verbo e sujeito que ocorrem quase que natural e inevitavelmente na forma de nos expressarmos (e como eu acabei de fazer…)

Então, como evitar esse erro? Não apenas sabendo o que é concordância verbal como também todas as regras que devem ser respeitadas.

É aqui que eu entro trazendo para você dois infográficos incríveis sobre o assunto; um verdadeiro guia completo e com linguagem simples.

O que você acha de ter uma cópia em PDF com alta definição desse material para consultar todas as vezes que tiver dúvidas?

Então, adquira uma clicando aqui ou na imagem abaixo para nunca mais errar em redações e em exercícios de português!

O que e concordância verbal

 

 

 

💡  Mostre a seus amigos que você consome informação de qualidade!

 

o que é concordância verbal

Clique abaixo para obter uma cópia em PDF com alta definição desses infográficos:

Baixar infográfico

Gostaria de colocar uma versão no seu site? Copie e cole os códigos abaixo:

O que é concordância verbal?

 

o que é concordância verbal

Definição lúdica:

O Verbo é um elemento muito influenciável e age conforme o que o seu amigo Sujeito recomenda.

Definição gramatical:

O verbo concorda com o sujeito esteja ele evidente ou oculto, na voz ativa ou passiva.

Definição segundo alguns expoentes da Língua Portuguesa:

  • Napoleão Mendes de Almeida: “É o processo sintático pelo qual o verbo se acomoda, na sua flexão, com a flexão do sujeito de que depende”.
  • Celso Cunha e Lindley Cintra: “É a solidariedade entre o verbo e o sujeito, isto é, a variabilidade do verbo para conformar-se ao número e à pessoa do sujeito”.
  • Evanildo Bechara: “É a que se verifica em número e pessoa entre o sujeito (e às vezes o predicativo) e o verbo da oração”.
  • Rocha Lima: “Reduzem-se em duas as regras gerais: 1- Havendo um só núcleo (sujeito simples), com ele concorda o verbo em pessoa e número; 2- Havendo mais de um núcleo (sujeito composto), o verbo vai para o plural e para a pessoa que tiver primazia”.
  • Pasquale e Ulisses Infante: “O verbo e o sujeito estão sempre ligados pelo mecanismo de concordância. De acordo com essa relação, verbo e sujeito concordam em número e pessoa”.
  • Sérgio Simões: “Relação de número (singular e plural) e pessoa (1ª, 2ª e 3ª) que se estabelece entre verbo e sujeito na frase”.

Sujeito Simples

 

o que é concordância verbal

1- Determinante + Nome próprio

Quando o sujeito formado por um nome próprio vem antecedido de um determinante (o, a, este, aquele etc.), o verbo concorda com o determinante.

  • Determinante no singular:

O Amazonas corre pelo norte da América do Sul”.

  • Determinante no plural:

Os Estados Unidos alcançaram a marca de 14 partidas de invencibilidade”.

2- Plural aparente

Palavras que estão aparentemente no plural, mas que trazem a ideia de singular, mantêm o verbo no singular:

Hifens está no plural”.

[A palavra] “Hifens está no plural”.

3- Quantidade aproximada

Com expressões de quantidade aproximada (perto de, cerca de, mais de etc.) o verbo concorda com o número do termo que vem após elas.

Exceção: verbo ser, cuja concordância é facultativa.

  • Termo que vem após no singular:

Cerca de meio metro da pista cedeu na última enchente”.

  • Termo que vem após no plural:

Perto de duas mil pessoas vão reunir-se no Estádio municipal”.

4- Coletivo / Expressão partitiva

a) Não seguido por algum termo: quando o sujeito é constituído de coletivo (tropa, matilha, cardume) ou expressão partitiva (parte de, a maioria de, metade de etc.), não seguido por algum termo, o verbo fica no singular:

“A tropa deslocou-se para o Afeganistão”.

b) Seguido por termo no singular próximo ao verbo: quando o sujeito é constituído de um desses elementos, seguido por algum termo no singular próximo ao verbo, mantém no singular o verbo:

Metade da bancada tucana deve votar contra o presidente na denúncia”.

c) Seguido por termo no singular distante do verbo: quando o sujeito é constituído de um desses elementos, seguido por termo no singular distante do verbo, mantém no singular ou no plural o verbo.

  • Seguido por termo no singular distante do verbo:

Metade da bancada tucana, sob pressão do clamor popular e descrente da legitimidade do governo, deve votar contra o presidente na denúncia”.

  • Seguido por termo no singular distante do verbo:

Metade da bancada tucana, sob pressão do clamor popular e descrente da legitimidade do governo, devem votar contra o presidente na denúncia”.

d) Seguido por termo no plural: quando o sujeito é constituído de um desses elementos, seguido por termos no plural, o verbo pode ficar no singular ou no plural.

  • Seguido por termo no plural:

A maior parte das doações não ultrapassou R$ 20 mil”.

  • Seguido por termo no plural:

A maior parte das doações não ultrapassaram R$ 20 mil”.

5- Pronome interrogativo / Demonstrativo / Indefinido + Nós / Vós

a) Pronome no singular: pronomes interrogativos (qual, quanto), ou demonstrativos (esse, aquele etc.), ou indefinidos (algum, qualquer etc.) seguidos de nós / vós levam o verbo para a 3ª pessoa do singular:

Qual dentre nós nunca se deparou com uma situação de perigo?”

Aquele de vós que não tiver pecado que atire a primeira pedra”.

Qualquer de nós poderia participar ativamente das competições”.

b) Pronome no plural: esses elementos no plural seguidos de nós / vós levam o verbo para a 3ª pessoa do plural ou a concordar com nós / vós:

Quaisquer de nós poderiam / poderíamos participar ativamente das competições”.

6- Pronome de tratamento

Quando o sujeito é formado por pronome de tratamento, o verbo sempre fica na 3ª pessoa conforme o número do pronome.

  • Pronome de tratamento no singular:

Vossa Excelência está comportando-se de maneira indigna do cargo de presidente da Câmara”.

  • Pronome de tratamento no plural:

Vossas Senhorias exercem um papel importante nas reuniões”.

7- Porcentagem

a) Próximo do número: quando em contato com o número percentual, o verbo concorda com ele.

  • Número percentual no singular:

“Da população inteira, apenas 1% rejeitou a proposta do governo”.

Número percentual no plural:

Foram destruídos 35% da plantação de café”.

b) Próximo do partitivo: quando o verbo está em contato com o termo partitivo que vem depois do número percentual, concorda com o termo partitivo.

  • Partitivo no singular:

“Na Noruega, 20% da população depende de benefícios do estado”.

  • Partitivo no plural:

“Pesquisa aponta que 30% dos mais ricos querem que o presidente permaneça no cargo”.

c) Com determinante antes do número: quando há um determinante antes do número percentual, o verbo concorda com ele.

  • Determinante no singular:

Aquele 1% dos alunos mencionados deve comparecer à secretaria até o fim da semana”.

  • Determinante no plural:

Estes 40% do rendimento foram destinados à compra de equipamentos”.

8- Número

a) Próximo do número: próximo do número, o verbo concorda com ele.

  • Próximo do número no singular:

Desapareceu 1,9 milhão de dólares dos cofres públicos”.

  • Próximo do número no plural:

Desapareceram dois milhões de dólares dos cofres públicos”.

b) Distante do número distante do número, o verbo concorda com ele ou vai para o plural.

  • Distante do número no singular:

Um milhão de pessoas deve ir ao evento”.

  • Distante do número no plural:

Um milhão de pessoas devem ir ao evento”.

c) Número fracionário: com número fracionário, a concordância ocorre com o número que vem antes do termo fracionário.

  • Número no singular seguido de fração:

Um quarto dos participantes assistiu a aulas extracurriculares”.

  • Número no plural seguido de fração:

Dois quartos dos participantes assistiram a aulas extracurriculares”.

9- Voz passiva

Na voz passiva sintética (que usa a partícula se), o termo que vem após o verbo e a partícula é que determina a concordância: se estiver no plural, o verbo fica no plural; se estiver no singular, o verbo fica no singular.

  • Termo no singular:

Comprase dólar esperando que se valorize, mas nem sempre isso acontece”.

  • Termo no plural:

Compramse dólares esperando que se valorizem, mas nem sempre isso acontece”.

10- Sujeito indeterminado

a) Sem a partícula se: com sujeito indeterminado sem a partícula se, o verbo vai para a 3ª pessoa do plural:

Pediram-me para dar uma aula sobre concordância verbal”.

b) Com a partícula se: com a partícula se, o verbo sempre fica no singular, mesmo que o que venha depois do verbo esteja no plural.

Artimanha: para que o sujeito seja indeterminado (e não voz passiva), o verbo ou é intransitivo, ou é transitivo indireto; no segundo caso, é exigido preposição depois da partícula se:

Vivese uma época de entusiasmo”.

Lutase contra os próprios medos sem nunca os vencer”.

11- Sujeito oracional

Se o sujeito for uma oração (palavra ou frase constituída por verbo), o verbo que se refere a ela fica no singular.

  • Oração composta por palavra:

Aprender está entre as minhas prioridades”.

  • Oração composta por frase:

Aprender a ouvir antes de emitir uma opinião evita muitas desavenças”.

12- Cada um / Cada qual

Quando o sujeito é cada um ou cada qual, seguido ou não de termo no plural, o verbo fica na 3ª pessoa do singular.

  • Não seguido de termo no plural:

“Os jogadores tinham habilidades diferentes, por isso cada qual teve o destino que mereceu”.

  • Seguido de termo no plural:

Cada um deles deve comer a quantidade de coxinhas que conseguir”.

13- Mais de um / Mais que um

a) Sem a ideia de ação conjunta: quando o sujeito é mais de um ou mais que um e não traz a ideia de ação conjunta, isto é, reciprocidade na ação, o verbo fica no singular:

Mais que um aluno resolveu aderir ao protesto”.

b) Com a ideia de ação conjunta ou repetido: quando o sujeito é um desses elementos e traz a ideia de ação conjunta ou vem repetido, o verbo fica no plural:

Mais de um atleta abraçaram-se após o apito final”.

Mais de um pedido de desculpa, mais de um gesto de arrependimento não foram suficientes para Eliane perdoá-lo”.

14- Mais de + Número + Termo no plural

Quando o sujeito é mais de seguido de número e termo no plural, o verbo fica no plural:

Mais de 5,3 mil animais morrem atropelados no Distrito Federal”.

15- Menos de dois

Quando o sujeito é menos de dois, o verbo fica no plural:

Menos de dois companheiros estiveram no enterro do líder sindicalista”.

Sujeito Composto

 

o que é concordância verbal

16- Pessoas gramaticais diferentes

Quando os sujeitos são formados por diferentes pessoas gramaticais, o verbo vai para o plural com base na pessoa que vem em primeiro na ordem da conjugação:

Eu, ele e você conquistamos juntos esse prêmio”.

Tu e ele conquistastes juntos esse prêmio”.

17- Sujeitos depois do verbo

a) Sem a ideia de ação conjunta: quando os sujeitos vierem depois do verbo e não houver a ideia de ação conjunta, o verbo concorda com o sujeito mais próximo.

  • Sujeito mais próximo no singular sem ideia de ação conjunta:

Passará o céu e a terra, mas a minha palavra não passará”.

  • Sujeito mais próximo no plural sem ideia de ação conjunta:

Reviveram os rins e o fígado do paciente”.

b) Com a ideia de ação conjunta: quando os sujeitos vierem depois do verbo e houver a ideia de ação conjunta, o verbo vai para o plural:

Encontraram-se, na porta da igreja, o noivo e o pai da noiva”.

c) Formados por nomes próprios: quando os sujeitos vierem depois do verbo e forem formados por nomes próprios, o verbo fica no plural:

Informaram João e Pedro de que o mestre estava na Galileia”.

18- Palavras equivalentes

Quando os sujeitos apresentarem palavras equivalentes quanto ao significado, o verbo concorda com o sujeito mais próximo.

  • Sujeito mais próximo no singular:

A caridade, o amor e a fraternidade sempre faz bem a qualquer coração”.

  • Sujeito mais próximo no plural:

Importam, nesta vida, os amores dos amantes e a afeição dos amigos”.

19- Enumeração progressiva de ideias

Quando os sujeitos apresentarem uma enumeração de palavras que aumenta ou diminui progressivamente a intensidade das ideias, o verbo concorda com o sujeito mais próximo ou vai para o plural.

  • Sujeito mais próximo no singular:

A raiva, o ódio, o rancor está / estão nos corações enegrecidos pelo mal”.

  • Sujeito mais próximo no plural:

Bastam pequenos gestos de amizade, um sorriso ou um olhar para eu me aproximar de alguém”.

20- Sujeitos resumidos

Quando os sujeitos forem resumidos por uma palavra (tudo, nada, ninguém etc.), o verbo fica no singular mesmo que haja entre os sujeitos algum no plural:

“Seu boné azul, seu colete desbotado, sua boca sem dentes e seus pequenos olhos claros, tudo conspirava para uma imagem de extrema debilidade”.

21- Sujeitos oracionais

a) Sem contraste de ideias: se os sujeitos forem constituídos por orações que não apresentam contraste de ideias, o verbo que se refere a elas fica no singular:

Acordar cedo e ler muito está entre as minhas prioridades”.

b) Com contraste de ideias: sujeitos constituídos desses elementos, apresentando contraste de ideias, mantêm o verbo que se refere a eles ou no singular ou no plural:

Cair e levantar faz / fazem parte da vida”.

22- Como / Assim como / Bem como etc.

Quando um os sujeitos são ligados pelas expressões: como / assim como / bem como / exceto etc., o verbo concorda com o primeiro sujeito.

  • Primeiro sujeito no singular:

Maria, como eu, pensa da mesma forma com relação à pena de morte”.

Eu, assim como todo o Departamento Pessoal, não quero mais trabalhar com esse encarregado”.

  • Primeiro sujeito no plural:

Os políticos, bem como os empresários, estão unidos contra os trabalhadores”.

Os técnicos de gravação, exceto os da iluminação, gostaram do roteiro”.

23- Não só…mas também / Tanto…como / Tanto…quanto etc.

Quando os sujeitos são unidos por expressões como não só…mas também / tanto…como / tanto…quanto etc., o verbo fica no plural:

Não só a seca mas também o pouco caso castigam o Nordeste”.

Tanto o moço quanto o velho podem fazer uma universidade com mérito”.

24- Com

a) Ação individual: quando os sujeitos são ligados por com e se quer pôr em destaque a ação do primeiro sujeito, o verbo concorda com ele.

  • Ação individual com o sujeito no singular:

A banda com todo o seu time de apoio fez um show memorável no Pacaembu”.

  • Ação individual com o sujeito no plural:

Os Rolling Stones com todo o seu time de apoio fizeram um show memorável no Pacaembu”.

b) Ação coletiva: quando se quer enfatizar que ação foi coletiva, isto é, realizada por todos os sujeitos, o verbo vai para o plural.

Artimanha: nesse caso, com tem o sentido de e:

“Jorge com [e] seu amigo roqueiro estiveram no show dos Rolling Stones”.

25- Ou / Nem / Já / Ora / Quer

a) Sem a ideia de ação conjunta: quando os sujeitos são ligados por ou / nem / / ora / quer e não há a ideia de ação conjunta, isto é, de tal forma que o verbo só se refira a um dos sujeitos, o verbo concorda com o sujeito mais próximo.

  • Sujeito no singular sem a ideia de ação conjunta:

“Como o Brasil é o país dos extremos, ou Jean Wyllys ou seu arqui-inimigo Bolsonaro, um dia, ganhará a eleição para presidente.”

  • Sujeito no plural sem a ideia de ação conjunta:

Nem os jeans wyllys nem os bolsonaros da vida ganharão, um dia, a eleição para presidente”.

b) Com a ideia de ação conjunta: quando os sujeitos forem ligados por algum desses elementos e houver a ideia de ação conjunta, o verbo vai para o plural:

Ora a possibilidade do ganho de dividendos, ora a do ganho na venda de ações convidam aventureiros a entrar no mercado financeiro”.

Artimanha: com a ideia de ação conjunta, na maior parte das vezes, esses elementos podem ser substituídos por e sem o sentido da frase ser prejudicado:

[“A possibilidade do ganho de dividendos E a do ganho na venda de ações convidam aventureiros a entrar no mercado financeiro”.]

26- Cada um / Cada qual

Quando os sujeitos são seguidos pela expressão cada um ou cada qual, o verbo fica no singular:

PMDB e PSDB cada um tem o seu interesse particular na próxima eleição”.

Estados Unidos, Inglaterra e França cada qual possui suas próprias características no aspecto geopolítico”.

27- Cada…cada / Nenhum…nenhum

Quando cada…cada ou nenhum…nenhum vier antes dos sujeitos, o verbo fica no singular:

Cada vírus, cada bactéria, cada fungo que invade o nosso organismo eleva o nosso risco de morrer”.

Nenhum passageiro e nenhum tripulante que não seja o comandante está autorizado a acessar o convés inferior”.

28- Um ou outro

Quando os sujeitos são um ou outro, seguidos ou não de termo no singular, mantêm o verbo no singular.

  • Não seguido de termo no singular:

“No fim das contas, um ou outro sempre vence a competição”.

  • Seguido de termo no singular:

Um ou outro jogo mais simples pode ser instalado nesse modelo de celular”.

29- Um e outro

Quando os sujeitos são um e outro, seguidos ou não de termo no singular, o verbo pode ficar no singular ou ir para o plural.

  • Não seguido de termo no singular:

Um e outro protagonizou / protagonizaram, porventura, os casos mais graves da história recente do futebol português.”.

  • Seguido de termo no singular:

Um e outro político esteve / estiveram envolvido(s) em escândalos nos últimos anos”.

30- Nem um nem outro

a) Seguido de termo no singular: quando os sujeitos são nem um nem outro seguidos de termo no singular, o verbo também fica no singular:

Nem um nem outro poeta reproduziu as inquietações do espírito”.

b) Não seguido de termo no singular: quando os sujeitos são constituídos desses elementos e não são seguidos de um termo no singular, o verbo pode ficar no singular ou ir para o plural:

Nem um nem outro apresenta / apresentam dignidade ou competência para assumir o cargo”.

FIQUE ATUALIZADO!
Coloque seu e-mail abaixo para receber gratuitamente nossas atualizações  
 

Pronome Relativo

 

o que é concordância verbal

31- Que / Quanto

a) Com uma pessoa gramatical: quando o sujeito que ou quanto se refere a apenas uma pessoa gramatical, o verbo concorda com essa pessoa.

  • Com uma pessoa gramatical no singular:

“Não sou eu que tenho de provar a minha inocência”.

  • Com uma pessoa gramatical no plural:

“As vagas estão abertas a todos quantos demonstrem interesse em fazer o curso”.

b) Com mais de uma pessoa gramatical: quando que ou quanto se refere a mais de uma pessoa gramatical, o verbo vai para o plural com base na pessoa que vem em primeiro na ordem de conjugação:

“Não sou eu nem ele que vamos dar o perecer final”.

32- Quem

a) Com o sentido de o que / aquele que: quando o sujeito é quem com o sentido de o que ou aquele que, o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou concorda com o pronome pessoal que vier antes dele:

“Não sou eu quem decide” = “Não sou eu o que / aquele que decide”.

“Não sou eu quem decido”.

b) Com o sentido de que pessoas: quando o sujeito é quem com o sentido de que pessoas, o verbo fica no plural:

Quem teriam sido os gênios que imaginaram essa solução?” = “Que pessoas teriam sido os gênios que imaginaram essa solução?”

33- O / Um / Esse / Este/ Aquele + Que

a) Com uma pessoa gramatical: quando um destes elementos: o / um / esse / este / aquele vêm antes de que se referindo a apenas uma pessoa gramatical, o verbo concorda com essa pessoa ou fica na 3ª pessoa.

  • Com uma pessoa gramatical no singular:

Tu és aquele que educas meu filho quando está na escola”.

“Eu sou uma que esteve conversando com vocês no ano passado”.

  • Com uma pessoa gramatical no plural:

“Nós somos estas que estiveram conversando com vocês”.

Vós sois aqueles que educais meu filho quando está na escola”.

b) Com mais de uma pessoa gramatical: quando que, nessas condições, refere-se a mais de uma pessoa gramatical, o verbo vai para o plural com base na pessoa que vem em primeiro na ordem de conjugação:

Tu e os soldados sois os que sereis condenados por crimes de guerra”.

34- Um dos + Termo no plural + Que

a) Referindo-se a só um indivíduo: quando a expressão um dos, seguida de um termo no plural + que, é direcionada a apenas um indivíduo, o verbo fica no singular:

“O prédio da FIESP é um dos edifícios de São Paulo que se localiza na Avenida Paulista”. [Nem todos os edifícios de São Paulo localizam-se na av. Paulista.]

b) Referindo-se a todos os indivíduos: quando é direcionada a todos os indivíduos, o verbo vai para o plural:

“O prédio da FIESP é um dos edifícios que se localizam na Avenida Paulista”. [Há outros edifícios na av. Paulista além do prédio da FIESP.]

35- Um / Nem um / Nenhum + Dos que

Quando nenhuma dessas expressões: um dos que (=um daqueles que), / nem um dos que / nenhum dos que é seguida de um termo no plural, o verbo fica na 3ª pessoa do plural:

“O governador foi um dos que prestigiaram o evento”.

Nem um dos que tiveram o benefício estava apto a recebê-lo”.

Nenhum dos que tiveram o benefício estavam aptos a recebê-lo”.

  • Com o termo um omitido:

“Sou dos que veem no sofrimento uma ação da Providência divina”.

Verbo “Ser”

 

o que é concordância verbal

36- Nome de pessoa / Termo referente a pessoa

a) Nome ou termo referente a pessoa antes OU depois do verbo: o verbo ser concorda com o nome de pessoa ou algum termo referente a pessoa que esteja antes ou depois dele.

  • Nome ou termo referente a pessoa antes do verbo:

Beatriz é os alicerces da casa”.

Beatriz e Maria são a coluna da casa”.

A menina é as alegrias do papai”

As mulheres são a alegria da casa”.

  • Nome ou termo referente a pessoa depois do verbo:

“Os alicerces da casa é Beatriz”.

“A coluna da casa são Beatriz e Maria”.

“As alegrias do papai é a menina”.

“A alegria da casa são as mulheres”.

 

Exceção: entre um nome ou termo referente a pessoa e um pronome pessoal, o verbo ser concorda com o pronome: “Eu sou José da Silva” / “Crianças somos Nós”:

37- Substantivo comum

Se houver um substantivo comum antes do verbo ser, a concordância pode ser feita tanto com o que vier antes como com o que vier depois do verbo:

“Naquela época, o nosso alimento era / eram calangos e ratos do mato”.

38- Pronome pessoal

a) Pronome pessoal antes OU depois do verbo: entre os termos que estiverem antes e depois do verbo ser, se um deles for pronome pessoal (eu, tu, ele, nós, vós, eles) o verbo concorda com ele.

  • Pronome pessoal antes do verbo:

Ela é as alegrias do papai”.

Elas são a alegria desta casa”.

  • Pronome pessoal depois do verbo:

“As alegrias do papai é ela”.

“A alegria desta casa são elas”.

b) Pronome pessoal antes E depois do verbo: se antes e depois do verbo ser houver pronomes pessoais, o verbo concorda com o que estiver antes:

Eu não sou eles”.

39- Pronome neutro

a) Pronome neutro depois do verbo: o verbo ser concorda com o pronome neutro (o, isso, isto, aquilo, tudo, ninguém, nenhum) que esteja depois do verbo:

“Promessas vazias é tudo do que não preciso neste momento”.

Exceção: entre um pronome neutro e um pessoal, o verbo ser concorda com o pessoal: “Eu não sou ninguém”.

b) Pronome neutro antes do verbo: quando esses elementos vêm antes do verbo ser, o verbo tanto pode concordar com eles como com o que vem depois.

  • Pronome neutro antes do verbo:

Aquilo era grandes obras de arte e não algo sem valor”.

  • Pronome neutro antes do verbo:

Aquilo eram grandes obras de arte e não algo sem valor”.

c) Pronome neutro antes do verbo com mais de um predicativo: quando esses elementos vêm antes do verbo ser e depois dele há mais de um predicativo, ele concorda com o primeiro predicativo:

O que não desejo são traições e ruína”.

O que não desejo é ruína e traições”.

40- O resto / O mais etc.

Se houver expressões de sentido coletivo (o resto, o mais etc.) antes do verbo ser, ele concorda com o que vier depois:

O resto são desculpas esfarrapadas”.

O mais são discussões que não levam a nada”.

41- Pronome interrogativo

Se houver pronomes interrogativos (que, quem / quantos) antes do verbo ser, o verbo concorda com o que vier depois:

Que é cosmologia?”

Quem foram os destaques do jogo hoje?”

Quantos serão demitidos amanhã?”

42- Número

a) Número antes do verbo: com números antes do verbo ser, ele concorda com o que vem depois dele:

Cinco mil libras é muito”.

Cem mil quilômetros é uma distância considerável”.

b) Número depois do verbo: com números depois do verbo ser, ele concorda com o número:

É uma hora agora”.

“Hoje são 11 de agosto de 2017”.

Exceção 1: entre o número e um pronome pessoal, o verbo ser concorda com o pronome: “Nós somos um apenas”.

Exceção 2: quando os números são apresentados como um todo, como nos cálculos, por exemplo, o verbo ser sempre fica no singular: “Quanto é 20% de 80? 20% de 80 é 16”.

43- Quantidade aproximada

Se houver uma expressão de quantidade aproximada (perto de, cerca de, mais de etc.) após o verbo ser, ele pode tanto concordar com a expressão como com o número que vier depois:

Era perto das seis horas da tarde”.

Eram perto das seis horas da tarde”.

44- Partícula se

Com a partícula se, o verbo ser deixa o sujeito indeterminado e fica no singular:

“Quando se é famoso, passeios públicos ficam mais difíceis”.

Ése mais saudável em países que cuidam do meio ambiente”.

Outros Verbos

 

o que é concordância verbal

45- “Haver”

a) Com o sentido de fazer / existir / ocorrer: quando o verbo haver é empregado com o sentido de fazer / existir / ocorrer, fica sempre na 3ª pessoa do singular:

“A solução do problema é aguardada [faz] vinte anos pelos moradores do bairro.”

[Existem] indícios de que o prefeito desviou verbas da prefeitura”.

Houve [Ocorreram] muitos relatos de moradores indignados com o descaso da prefeitura”.

b) Com o sentido de ter: quando empregado com o sentido de ter, concorda com o sujeito.

  • Com o sentido de ter no singular:

Aquele que agora critica o presidente haverá [terá] de aplaudi-lo”.

  • Com o sentido de ter no plural:

Alguns que agora criticam o presidente haverão [terão] de aplaudi-lo”.

46- “Fazer”

a) Indicando tempo cronológico ou meteorológico: quando o verbo fazer é empregado indicando tempo cronológico ou meteorológico, fica na 3ª pessoa do singular. (O verbo auxiliar que o estiver acompanhando fica na 3ª pessoa do singular.):

Fez vinte anos que o meu irmão morreu”.

Vai fazer vinte anos que o meu irmão morreu”.

Faz calores insuportáveis no sertão nordestino”.

b) Sem indicar tempo cronológico ou meteorológico: quando empregado fora dessas condições, concorda com o sujeito.

  • Sem indicar, no singular:

Henrique faz redações realmente extraordinárias”.

  • Sem indicar, no plural:

Os funcionários fizeram uma festa para comemorar a saída do encarregado”.

47- Verbos que expressam fenômenos naturais

a) Sentido concreto: quando os verbos que expressam fenômenos naturais são usados no sentido concreto, são impessoais e ficam sempre na 3ª pessoa do singular:

Chove torrencialmente no Rio Grande do Sul”.

“Ontem relampejou o dia inteiro”.

b) Sentido figurado: quando são usados no sentido figurado, concordam com o sujeito.

  • Com sentido figurado no singular:

“Não amanheci bem hoje”.

  • Com sentido figurado no plural:

“Não amanhecemos bem naquele dia”.

48- Verbos que expressam horas

Verbos que expressam horas, como dar, soar e bater, concordam com o sujeito.

  • Com o sujeito no singular:

Deu uma hora da manhã e ele não chegou”.

O relógio da estação bateu dez horas”.

  • Com o sujeito no plural:

Deram onze horas da noite e ele não chegou”.

Os relógios da estação bateram uma hora”.

Espero que você tenha gostado!

Procurei fazer o que estava ao meu alcance para ajudar. Ajude também os outros compartilhando este material nas redes sociais. É só clicar nos botões abaixo! Isso gera uma corrente do bem…

Até a próxima!!!

Referências bibliográficas

  • ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática metódica da língua portuguesa. 46 ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
  • BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37 ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2009.
  • CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâ 3 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.
  • LIMA, Rocha. Gramática normativa da língua portuguesa. 42 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.
  • NETO, Pasquale Cipro; INFANTE, Ulisses. Gramática da língua portuguesa. 3 ed. São Paulo: Scipione, 2008.
  • SIMÕES, Sérgio. Concordância nominal e verbal sem segredo. São Paulo: Uninove, 2010.

Referências online (O que é concordância verbal)

CAETANO, Marcelo Moraes. Concordância verbal – Parte 2. Disponível em: <http://diariodorio.com/concordancia-verbal-parte-2/>. Acesso em: 06 set. 2017.

COSTA, José Maria da. Sujeito composto = verbo no plural. Disponível em: <http://www.migalhas.com.br/Gramatigalhas/10,MI18417,61044-Sujeito+composto+verbo+no+plural>. Acesso em: 06 set. 2017.

EDUCAÇÃO, Terra. Veja os erros mais comuns de concordância verbal. Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/educacao/veja-os-erros-mais-comuns-de-concordancia-verbal,fb2847accc5ea310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html>. Acesso em: 06 set. 2017.

FERREIRA, Fabiana. Mais uma de concordância verbo-nominal…. Disponível em: <https://www.folhape.com.br/economia/economia/blog-dos-concursos-e-empregos/2017/07/10/BLG,3508,10,574,ECONOMIA,2421-MAIS-UMA-CONCORDANCIA-VERBO-NOMINAL.aspx>. Acesso em: 06 set. 2017.

MURIAS, Pedro. Sobre a concordância do verbo ser com o predicativo do sujeito. Disponível em: <https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/sobre-a-concordancia-do-verbo-ser-com-o-predicativo-do-sujeito/34276>. Acesso em: 06 set. 2017.

NUNES, Augusto. Manifesto do PT suspende o massacre da concordância verbal. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/manifesto-do-pt-interrompe-tortura-da-concordancia-verbal/>. Acesso em: 06 set. 2017.

NUNO, Henrique. Aula de português – concordância verbal. Disponível em: <http://hnsfernandes.blogspot.com.br/2007/09/aula-de-portugus-concordncia-verbal.html>. Acesso em: 06 set. 2017.

PERNAMBUCO, G1. Professor mostra como concordar sujeito e predicado. Disponível em: <http://g1.globo.com/pernambuco/educacao/noticia/2016/10/professor-mostra-como-concordar-sujeito-e-predicado.html>. Acesso em: 06 set. 2017.

Você Também Vai Gostar:
Ebook Propostas de Intervenção Originais

Sobre o autor

Bacharel e licenciado em Letras, especialista em redação e profundo admirador da arte da escrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe com seus amigos!

Próximo